Seixas M, Virgens J, Barrouin S, van Herk A. Consciência Na Substituição Do Uso de Animais No Ensino: Aspectos Históricos, Éticos E de Legislação. Revista Brasileira de Direito Animal, 2010, 6(5): 71–96


Abstract

O especismo, a discriminação de direitos em favor da espécie humana e em detrimento de outras espécies, é praticado também no ambiente acadêmico. O uso indiscriminado de animais não-humanos para o ensino e a pesquisa é uma prática antiga, que foi consolidada durante a Idade Moderna. Mesmo diante da tecnologia atual, os animais ainda são usados, de forma prejudicial, para a demonstração de conhecimentos. Como reação de um número crescente de pesquisadores em todas as áreas do conhecimento, tem havido um aumento da criação, aperfeiçoamento e consolidação de métodos substitutivos e, por parte dos estudantes, a objeção de consciência.
Assim, a substituição do uso prejudicial de animais por métodos mais eficazes é uma realidade possível e positiva no desenvolvimento ético dos humanos pelo refinamento do respeito aos não-humanos, possibilitando o desenvolviment de habilidades necessárias à prática profissional.
 



Author's keywords: bioética, aulas práticas, métodos substitutivos

Link to journal: https://portalseer.ufba.br/index.php/RBDA/article/view/11073/7987